Ana Vegana
Veganismo Consciente
   Home      Alimentacao animal
 
 Alimentação animal:


Atualmente é comum ouvirmos (ou lermos) que gatos são carnívoros e cães são onívoros e, por isso, jamais se adaptarão a uma dieta vegetariana ou, menos ainda, ao estilo de vida vegano. Antes de explicar que isso é perfeitamente possível, (inclusive eu conheço pessoalmente cães e gatos vegetarianos), farei uma afirmação que pode ser polêmica mas é verdadeira e eu levei muitos anos pesquisando e vivendo na prática, diversas situações para chegar a este entendimento:


Nenhum animal (e isso inclui o ser humano) é carnívoro, onívoro, vegetariano ou vegano em sua origem. Somos todos adaptáveis a situações e vivências, ou seja, se ocorre um acidente, um avião cai na selva por exemplo, a grande maioria dos sobreviventes não hesitará em comer repteis, animais diversos e até cadáveres de seus companheiros de viagem. Por outro lado se este mesmo avião cair numa ilha repleta de coqueiros e árvores diversas, os sobreviventes pensarão primeiro em se alimentar de vegetais e frutas”...


Cito avião porque já sofri dois acidentes aéreos, já atendi terapeuticamente, muitos sobreviventes de acidentes de avião e garanto que eu não me animo a comer carne humana nem repteis prefiro nestas ocasiões, meditar e viver de luz e água de coco (se encontrar cocos e tiver como abri-los) mas há muitas pessoas que nem hesitam em abocanhar a primeira carne que encontram nestas situações.


Este exemplo é meio bizarro, mas apenas para mostrar que a experiência e o ambiente influenciam muito na escolha da alimentação. Se nascemos num ambiente em que todos ingerem carne, podemos, em algum momento, vivenciar uma experiência vegana e querer seguir por ela mas teremos mais dificuldades em convencer os familiares e amigos coisa que não ocorre quando já nascemos em ambiente vegetariano ou vegano...


Diante desta introdução fica mais fácil explicar porque o seu animal de estimação pode perfeitamente ser vegetariano/vegano. É tudo questão de costume.


Além disso, é preciso refletir que, os gatos, por exemplo, ao caçarem ratos e pássaros, os mastigam e ingerem integralmente. Levando em conta que o aparelho digestivo da presa sempre está repleto de vegetais, folhas e até grãos, fica obvio que os gatos podem se alimentar desta forma, ainda que de modo “terceirizado”. O mesmo ocorre com cães que podem se alimentar com grãos, frutas e vegetais sim e serem bem saudáveis. O importante é balancear bem as refeições.


E um detalhe que julgo bem importante citar: Meu pai, além de fundar três bairros em SP, ajudar muitos migrantes e dedicar a vida a auxiliar o próximo, recolhia todos os animais que encontrava abandonados. Com isso, chegou a ter quatrocentos cachorros e inúmeros gatos que conviviam pacificamente e eram alimentados de angú e bofe (naquela época não eramos vegetarianos) e eu me divertia alimentando esses animais com restos de comida, ou seja, eles comiam macarronada, arroz, feijão, pão e diversas guloseimas com todo o açúcar que uma criança tem direito. Raramente ficavam doentes, morriam por acidente ou por velhice...


O que foi que mudou tanto para que os nossos animais atuais sejam obrigados a ingerir somente carnes ou somente rações específicas? Será mesmo uma necessidade ou apenas apelo comercial?


Quanto a Taurina e L-carnitina tão citadas como necessárias aos gatos, elas podem ser sintéticas e a informação que tenho é que mesmo as rações normais (com ingredientes animais) também recebem Taurina e Carnitina sintéticas já que as carnes e ingredientes são tão processados que acabam não fornecendo os nutrientes necessários. Fontes naturais de L-carnitina são abacate e tempeh. Fontes naturais de Taurina são: beterraba, nozes, feijão. Mas, para ter certeza das quantidades e tipos para seu animal consulte sempre o Veterinário/Nutricionista.


Ja citei isso em outros artigos mas reafirmo que há um grande engano ao se anunciar que as carnes dos animais sejam repletas de proteínas, vitaminas e tantas “inas”. Uma vaca, que, por sinal, alimenta-se (ou deveria alimentar-se) basicamente de capim, consegue os nutrientes necessários ao seu organismo vivo. Ao morrer, este organismo cessa a recepção e distribuição destes nutrientes... então, que nutrientes podem permanecer numa carne morta, congelada, processada???


Isso vale para os humanos e para os animais. Calcule, um coelho ama cenouras, um macaco ama bananas e, entre os herbívoros, encontramos elefante, zebra, cavalo, rinoceronte, boi, porco-da-índia, cabra, veado, girafa, antílope, anta...os animais maiores e mais fortes são herbívoros, ou seja, só comem vegetais (plantas).


Eu poderia ficar longamente argumentando mas quero que este seja um artigo introdutório e curto, por isso, vamos ao que interessa de fato, o que cães e gatos domésticos podem ingerir.


Um alimento preparado pelo próprio dono deve conter três ou mais fontes de energia/proteína. Podem ser usados: arroz integral, trigo, aveia, milho, cevada e linhaça. Estes alimentos podem ser triturados em forma de farinha ou cozidos As fontes de proteína podem ser: farelos (glúten) milho, proteína texturizada de soja e levedura de cerveja. E atenção, esses alimentos são recomendados mas não podem ser impostos. Deve-se servir ao animal e verificar sua reação, se ele gostar, insista. Se recusar por mais de duas vezes, tente outras combinações de alimentos.


OBS: Gatos diabéticos, obesos ou alérgicos a cereais, devem ser acompanhados com mais frequência ao Veterinário e não devem ingerir os alimentos sugeridos acima.


Os cães podem comer cozidos com sal, os gatos tem problemas com sal e com azeitonas, aliás, não recomendo servir nada condimentado, muito temperado ou em conservas nem para gatos nem para cachorros. O ideal é colocar só uma pitada de sal para dar gosto à comida. E os gatos geralmente tem alergia a quinoa, chia e aveia, evite dar estes alimentos ao seu gato...Outros detalhes: Gatos não podem ingerir cebola nem alho, podem causa anemia nos bichanos. Ja os cães, ao ingerirem pouca quantidade de alho (picadinho na comida) tem nele um bom vermífugo natural.


Uma receita boa para cães inclui: arroz integral cozido, batata-doce, lentilha (ou ervilha ou feijão), aveia em flocos, gérmen de trigo, levedura de cerveja, linhaça triturada, couve picada bem fina. Em lugar da couve pode-se variar com brócolis ou outro alimento verde. Tudo deve ser bem cozido e temperado apenas com um pouco de sal. Pode-se acrescentar a esta mistura cálcio, zinco e um produto chamado Aminomix Pet. Outros alimentos que os cães gostam e são bem nutritivos são: amêndoas, nozes, castanha de caju, do pará, cenoura, couve, abóbora e espinafre, A quantidade dos ingredientes e dos suplementos deve ser de acordo com a idade, peso e características individuais do seu animal, por isso, consulte um Veterinário que também entenda de nutrição vegetariana para saber a dosagem exata que seu cão precisa diariamente.


Tanto cães quanto gatos, em geral, gostam de sementes de girassol e estas, além de nutrir, são um vermífugo natural. Ingeridas em porções uma ou duas vezes ao mês ou em pequenas doses diárias evita que o animal precise ingerir vermífugo industrializado.


Os gatos gostam de alimentos doces por isso aceitam facilmente abóbora, chuchu, brócolis, beterraba, couve-manteiga entre outras. As frutas preferidas dos bichanos são maçãs e bananas. Os cães também gostam muito de bananas e maçãs e podem gostar de manga entre outras. Optado pela alimentação caseira, sempre é aconselhável incluir suplementos de Taurina e L-carnitina cuja proporção varia de cordo com a espécie, tamanho e características do gato. Neste caso também é bom ter acompanhamento de um Veterinário com conhecimentos de Nutrição para uma dieta bem equilibrada.


Em todos os casos, como já citei, é preciso descobrir o gosto individual de seu animal de estimação. O que relato aqui é só uma base.



Finalizando, na Europa há várias marcas de ração vegetariana para cães e gatos. No Brasil, só há uma fabricante de ração vegetariana para cães. Em contato com esta empresa, me informaram que tem interesse em importar o produto e até os incentivei a produzi-lo, porém o alto custo da importação e algumas exigências de produção retardam a chegada do produto no mercado brasileiro. Esta é a única opção e teremos que aguardar que a empresa consiga importar ou produzir a ração, já que o consumidor final acaba sempre tendo o produto retido na alfândega brasileira ou, mesmo conseguindo comprar, pagando um valor absurdo e inviável para quem tutela vários animais.


E friso que minha orientação judaico-cabalística me dá base para afirmar que a essência do ser humano e dos animais também, em todos os sentidos e níveis, inclusive o espiritual, é VEGANA. A explicação em Bereshit (Gênesis 1:29-30) é bem elucidada. “E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a ERVA QUE DÊ SEMENTE, que está sobre a face de toda a terra; e TODA ÁRVORE EM QUE HÁ FRUTO QUE DÊ SEMENTE, ser-vos-á para MANTIMENTO”.   E a todo animal da terra e a toda ave dos céus, e a todo reptil da terra, em que há alma vivente, toda ERVA VERDE será para MANTIMENTO; e assim foi.


  Este foi o mandamento inicial do Criador. Aliás, sempre afirmo que, se o ser humano tivesse obedecido o que o Criador estipulou em Gênesis 1 e 2 (cito o ORIGINAL em HEBRAICO/ARAMAICO e não as variações que foram PLANTADAS em Bíblias mal traduzidas ou mal intencionadas), as Escrituras teriam apenas uma pagina. Todo o restante é só negociação e material para estudo filosófico...


Como a intenção deste artigo não é espiritual, paro por aqui. Quem se interessar por este tema pelo ponto de vista espiritual, pode acessar meu site LUZ DO ETERNO, que aborda os temas por este segmentyo espiritualizado. Acesse: http://luzdoeterno.eco.br/